quarta-feira, 5 de março de 2014

VILA SAO JOSE DE MACOACA - 26 DE OUTUBRO DE 2013
CCAPBrasil  entrega os Certificados do Curso Disseminadores em Educação Previdenciária, Programa informativo/educacional do Ministério da Previdência Social. 



No dia 26 de outubro próximo às 18h no CCAPBrasil-São José de Macaoca. Contamos com a presença da Dra. Suzana Crispim (Fortaleza), Dr. Emanoel Braz (Boa Viagem) e outras autoridades da Administração de Madalena-CE para. Profa. Terezinha com a palavra.

Relação dos Participantes: Brenda Alana Honorato Silva, Maria Iranice Marques de Orlanda, Patrícia Pereira da Silva, Antônio George Medeiros de Oliveira, Maria Marlete Silva Batista, Francisca Erlania Silva LAcerda, Francisco Danilo Sousa Domingos, Antônio Geferson Costa da Silva, Angelo Wilgson de Oliveira, Francisca Fabricia Medeiros de Oliveira, Juliana Oliveira Leitão da Silva, Antonia Karoline Leitão da Silva, Ana Gessika da Silva Araújo, Maria Valnice Pereira da Silva, Mayara Santos Oliveira, Andreza Inácio Araújo, Ilana Marques de Sousa, Regilane Oliveira dos Santos, Francisco Wallacy Oliveira dos Santos, Maria Veraleide Alves dos Santos, Rafaela Silva dos Santos, Antonio Daniel Sousa Domingos, Maria Marta Alves do Amaral, Francisca Ednilce Arruda Bento, André di Nascimento, Francisca Deise dos Santos, João Vitor Lima Barbosa, Isabel Pereira da Silva, Francisca Aline Fana Ferreira, Francisco Valquimar de Oliveira, Célia Maria Leite. 



Na ocasião o CCAPBrasil entregou também Certificado do Amigo do CCAPBrasil  e comemorou a Formatura do Valquimar de Oliveira em  História (voluntário do CCAPBrasil). Ilana Marques com a palavra.




                                                                                                    Eleilson Chagas comanda alegre da criancada              
C'elia Leite e Suzana Crispim

Edilma Cerejo

O CCAPBrasil - estimula a comunidade por informacoes de qualidade,  
cursos de capacitacao profissional. 

PROGRAMA MULHER, VIVER SEM VIOLÊNCIA - CEARA

ESTADO DO CEARA ADERE AO PROGRAMA "MULHERES, VEIVER SEM VIOLENCIA



Mulher Viver sem Violencia












Estado do Ceará adere ao programa 'Mulher, Viver sem Violência'PDFImprimir

O Governo do Estado do Ceará formalizará adesão ao Programa ‘Mulher, Viver sem Violência’ em termo assinado com a Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM/PR). A solenidade acontece na segunda-feira (11), às 15 horas, no auditório do Palácio da Abolição, com a presença do governador Cid Gomes.

Na oportunidade, o Estado do Ceará receberá do Governo Federal duas Unidades Móveis para o Atendimento e Acolhimento às Mulheres do Campo Vítimas de Violência. Preparados para circular em áreas rurais, os ônibus levarão serviços de segurança pública, justiça, assistência psicossocial e empreendedora, facilitando o acesso à Lei Maria da Penha e aos direitos das mulheres. O Governo do Estado será o responsável pelo planejamento, articulação, gestão de logística e itinerário dos veículos, assim como pelos serviços de atendimento prestados.

A partir da adesão ao 'Mulher, Viver sem Violência', o Ceará será beneficiado com a construção da 'Casa da Mulher Brasileira'. Com investimento médio de R$ 4,3 milhões, o espaço reunirá os seguintes serviços: delegacias especializadas de atendimento à mulher (DEAM), juizados e varas, defensorias, promotorias, equipe psicossocial (psicólogas, assistentes sociais, sociólogas e educadoras, para identificar perspectivas de vida da mulher e prestar acompanhamento permanente) e equipe para orientação ao emprego e renda. A conclusão da obra está prevista para o final de 2014.

Estarão presentes para a assinatura do termo de adesão ao programa, as seguintes autoridades: o governador do Estado do Ceará, Cid Gomes; a ministra de Políticas para as Mulheres da Presidência da República, Eleonora Menicucci; o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio; o procurador Geral de Justiça do Ministério Público do Ceará, Ricardo Machado; a defensora Pública Feral do Estado, Andréa Coelho; e o presidente do Tribunal de Justiça do Ceará, Luiz Gerardo de Pontes Brigido.

Mulher, Viver sem Violência

O programa é coordenado pela Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM/PR) e reforça a rede existente de serviços públicos do governo federal, estados, Distrito Federal, municípios, tribunais de justiça, ministérios e defensorias públicas por meio do Pacto Nacional pelo Enfrentamento à Violência contra as Mulheres. Por meio de parceria com os governos estaduais, prevê: criação de centros integrados de serviços especializados, humanização do atendimento em saúde, cooperação técnica com o sistema de justiça e campanhas educativas de prevenção e enfrentamento à violência de gênero. Iniciativa também aumentará centros de atenção às mulheres em áreas de fronteira do Brasil com a Bolívia, Guiana Francesa, Guiana Inglesa, Paraguai, Uruguai e Venezuela, para migrantes e combate ao tráfico de pessoas.

Em dois anos, serão investidos R$ 265 milhões, sendo R$ 137,8 milhões, em 2013, e R$ 127,2 milhões, em 2014. O total será aplicado da seguinte forma: R$ 115,7 milhões na construção dos prédios e nos custos de equipagem e manutenção, R$ 25 milhões na ampliação da Central de Atendimento à Mulher- Ligue 180, R$ 13,1 milhões na humanização da atenção da saúde pública, R$ 6,9 milhões na humanização da perícia para aperfeiçoamento da coleta de provas de crimes sexuais e R$ 4,3 milhões em serviços de fronteira.

08.11.2013

Assessoria de Comunicação da Coordenadoria Especial de Políticas para as Mulheres
Rodrigo Cavalcante
85 8871.0291 / 3242.1995




A MINISTRA HELEONORA MENICUCCI DA SECRETARIA DE POLITICA (SPM/PR) LADEADA POR VALEIRA MENDONCA E CELIA MARIA LEITE (PRESIDENTE - CCAPBrasil).






                                         
                                             
                  Foto ao lado do ONIBUS LILAS representante do CCAPBrasil: ILANA MARQUES
                                                                   
                                                                  E CELIA MARIA LEITE 

MOVIMENTO OUTUBRO ROSA






 Dra. Valéria Mendonça, coordenadora geral do Outubro Rosa no Ceará - Câmara Municipal de  Fortaleza


Foto: Na foto entre varias participantes da direita para esquerda Célia Maria Leite (Presidente-CCAPBrasil), Valeria Mendonca com papel na mao e Vereador Leonelzinho. Foto do Vereador Leonelzinho  
       









CCAPBrasil e EEF-VICENTE PATRÍCIO (São José de Macaoca) participam da
CAMINHADA na sede no município de Madalena-Ceará-Brasil






Educação nas Escolas  " Prevenir para não Curar" 




Caminhada encerra programação do Movimento Outubro Rosa no Ceará


Um dos principais resultados do Movimento Outubro Rosa é o despertar. Na manhã do próximo domingo, dia 3 de novembro, parte da orla marítima de Fortaleza será tomada pela cor rosa. São as mulheres e apoiadores da luta contra o câncer de mama que sairão em caminhada vestidos com a camisa do Movimento Outubro Rosa e ainda carregando no peito o laço rosa, símbolo mundial da luta contra a doença.


Com apoio da Secretaria da Saúde do Estado, a caminhada encerra a programação, cheia de ações e atividades, do Outubro Rosa Ceará 2013. A concentração será às 7 horas, no aterro da Praia de Iracema e vai até a Praça dos Estressados. A caminhada chama a atenção para a promoção da saúde, pra a qualidade de vida. 


ZARLU FILHO (PREFEITO DE MADALENA-CE)
ADERE O OUTUBRO ROSA





A programação encerra após um mês de intensas e permanentes ações de mobilizações coletivas, em boa parte das mulheres o cuidado com a própria saúde, em especial da saúde da mama. No cuidado, o foco foi a consciência de que o diagnóstico precoce do câncer de mama é o melhor remédio a partir de informações e orientações que foram feitas em praças, escolas, empresas, unidades de saúde. As mulheres não devem deixar de fazer a mamografia uma vez por ano, principalmente quando chegam aos 50 anos. 

Medo do diagnóstico

"Mais de um ano atrás pensei que minha vida tinha acabado. Ser diagnosticada com câncer de mama aos 36 anos, no auge da minha feminilidade, é devastador. Hoje, ainda em tratamento, enxergo a vida de outra maneira. Com mais ânsia, é verdade, porque encaramos mais de frente o conceito de finitude. Com mais responsabilidade e, de certa forma, até com mais leveza. O câncer tem essa capacidade de nos mostrar como somos fortes para aguentar a adversidade. Dito isso, faço mais uma ponderação. O Outubro Rosa não é apenas mais um movimento símbolo. É uma bandeira. Uma maneira de mostrarmos que vale a pena, apesar do sofrimento, viver o nosso dia de cada vez. São milhares de mulheres encarando com altivez a mutilação de seu corpo. São milhares de pessoas apoiando a nossa dignidade. É o nosso momento. A nossa luta". (Adriana Oliveira, 37 anos, há um ano e meio lutando contra um câncer de mama)

     



        Assim como Adriana, muitas mulheres serão, ainda este ano, diagnosticadas com a doença. Segundo o coordenador do Comitê Estadual de Controle do Câncer e diretor do Grupo de Educação e Estudos Oncológicos (GEEON), Luiz Porto, são esperados, no Ceará, cerca de 1800 novos casos de câncer de mama. "Nós temos uma incidência de 53 casos por 100 mil habitantes no Ceara. Os Estado Unidos têm o dobro, 126 casos por 100 mil habitantes, porque lá a população envelheceu mais e também sofre mais com problemas de obesidade", explica.


Um dos principais desafios para combater a doença é vencer o medo. Conforme o mastologista, a mulher ainda tem muito medo de fazer os exames preventivos. "Ela tem medo de descobrir que tem câncer. Depois tem medo do tratamento. De cair o cabelo. Da dor. Da cirurgia. De perder a mama e por aí os medos vão somando", afirma. A maior arma contra a enfermidade é o diagnóstico precoce, o que segundo ele, aumentou bastante, se, comparado ao passado. Ainda assim, o receio feminino é um entrave ao trabalho preventivo.

"As pessoas ainda não procuram exames preventivos. Das 315 mil mulheres, acima de 50 anos, que precisam fazer mamografia, apenas 120 mil fizeram o exame em 2012, o que foi um avanço em relação a 2008, onde apenas 8500 mulheres fizeram a mamografia. Mesmo assim, em 2012, 180 mil mulheres não buscaram fazer o exame. E temos mamógrafos suficientes na rede pública para atendê-las. Mas temos que vencer o medo do diagnóstico", diz o médico.




De 2007 para cá o número de mamógrafos na rede pública do Ceará aumentou de 22 para 48. Com essa quantidade, conforme Luiz Porto, o Estado tem capacidade de realizar 480 mil mamografias por ano pelo Sistema Público de Saúde (SUS), bem acima dos 315 mil exames previstos para atender as necessidades da população de mulheres do Ceará com mais de 50 anos de idade. “Com esse aumento de aparelhos de mamografias o problema deixou de ser a dificuldade de acesso. Temos ainda muita desinformação, que assusta as mulheres. Esse medo leva a adiarem o exame e a receberem um diagnóstico tardio, com menos chances de cura”, destaca o médico.

"Adiei ao máximo a ida à mastologista, mesmo sentindo um caroço duro no meu seio. Quando, enfim, a visita à médica não pode ser adiada, fui com medo. Mas acreditava ainda que o diagnóstico de câncer de mama seria inviável por causa da minha idade e também por não ter histórico de câncer na família. Contra todas as probabilidades que são alardeadas por aí, eu fui diagnosticada com a doença. O medo aqui não me ajudou. Poderia ter detectado mais cedo, em sua fase inicial. Hoje, insisto com as minhas irmãs e amigas para que elas façam todos os exames preventivos. A doença está aí e ela não vem para brincar. Precisamos de mais informações. Aliás, precisamos abrir nossas mentes e corações, sem medo e restrições, para compreender e combater o câncer. A informação e a fé são nossas aliadas", Adriana Oliveira.

Em tempo

Dos 26 novos mamógrafos que atendem pela rede pública, 10 estão nas 10 policlínicas regionais (Camocim, Baturité, Tauá, Acaraú, Sobral, Aracati, Brejo Santo, Campos Sales, Pacajus e Russas). Juntas, já realizaram 16.165 mamografias, até o último dia 30 de setembro. Além dos mamógrafos que funcionam nas policlínicas, foram adquiridos outros mamógrafos para unidades e instituições parceiras que atendem pelo SUS. Um mamógrafo novo foi instalado no Instituto de Prevenção do Câncer (IPC) e outro no grupo de Educação e Estudos Oncológicos (GEEON).

Fonte: Agência da Boa Notícia


Seminário Interdisciplinar para o Controle do Câncer de Mama: Projeto Iracema - Dr. Luiz Porto (GEEON)





Presenca Secretaria Saude do Municipio de Madalena-CE, CCAPBrasil, EEF - Vicente Patricio da Vila  Sao Jose de Macaoca,  Solange Viana (Secretaria de Saude), Célia Leite (CCAPBrasil),  Ines Rodrigues (Instituto Maria Bonita).


sábado, 1 de junho de 2013

A HISTÓRIA do Bolo Souza Leão e a sua receita


    Bolo Souza Leão                                                      

Foto:   Vanderlene  Teixeira



A HISTÓRIA DO Bolo Souza Leão

O bolo Souza Leão é mais famoso do Brasil.

Trata-se da verdadeira lenda da nossa doçaria tradicional.

As primeira notícia que se tem dele é quando foi servido pela família Souza Leão — dona de vastos canaviais — ao imperador dom Pedro II e sua mulher, Teresa Cristina, em viagem a Pernambuco. O casal real empanturrou-se.

O tempo passou, a opulência do ciclo açucareiro acabou, mas restou a tradição do mais aristocrático bolo nordestino, que tornou uma verdadeira lenda da doçaria brasileira.

O Bolo Souza Leão fez 140 anos e entre os seus ingredientes traz um generoso pedaço da história pernambucana.

De ingredientes simples, mas de preparo cuidadoso, resulta em uma formidável preparação de sabores marcantes como o da mandioca, o do coco e o do açúcar. O sabor doce é bem acentuado, herança da época em que o açúcar era usado sem parcimônia.

Era comum um bolo ser preparado com a impressionante quantidade de um quilo de açúcar. A farinha de trigo, de origem européia, fora substituída pela mandioca. Já a manteiga usada era inglesa ou francesa - a Le Pelletier.

O lugar deste bolo na culinária de Pernambuco é tão nobre quanto a linhagem dos Souza Leão que o batizou, formada por senhores de engenho dos municípios de Jaboatão, Moreno e vizinhanças. Não se permitia servi-lo em qualquer utensílio. A tradição obrigava o uso de pratos de porcelana ou cristal.

A família Souza Leão tem vários ramos provenientes de onze engenhos de Pernambuco. Com o passar do tempo, os herdeiros foram criando várias receitas com pequenas variações e proporção de ingredientes. Na realidade, fica difícil identificar a receita original.

Mas uma coisa é certa: o resultado de todos são sempre muito bons, cremosos e quem prova nunca mais esquece.

Cada um dos vários ramos da família Souza Leão garante que a sua receita é a verdadeira e os demais não passam de imitação. Acredita-se, porém, que a maior parte das receitas de Bolo Souza Leão seja proveniente de uma única cozinha: a de dona Rita de Cássia Souza Leão Bezerra Cavalcanti, casada com o coronel Agostinho Bezerra da Silva Cavalcanti, senhor do engenho São Bartolomeu, em Muribeca.

Há quem diga que o Bolo Souza Leão é uma variação do Bolo São Bartolomeu, em homenagem ao engenho homônimo, criado pela mesma senhora, uma renomada quituteira do seu tempo. Os ingredientes são quase os mesmos empregados no primeiro: massa de mandioca, leite de coco, açúcar, ovos. A diferença está no uso de especiarias como canela, erva-doce e castanha-de-caju, que não participa do legítimo Souza Leão.

As diferentes receitas do Bolo Souza Leão têm proporções discrepantes dos ingredientes, algumas chegam a indicar um quilo de manteiga, outra diz que só são necessários 450 gramas; se uma fala em 12 gemas, outras indicam 15 ou 18. Sem falar na quantidade de açúcar e leite de coco. Há receitas com leite de sete cocos, outras quatro ou dois. No final tem-se vários bolos, mas todos parecidos com um pudim e muito saboroso.

                          
RECEITA do Bolo Souza Leão                                                       
Ingredientes:



1/2kg de açúcar

  1 copo (80ml) de água

 125g de manteiga

 1/2kg de massa de mandioca lavada                     (mandioca crua, descascada 
e passada na máquina ou ralador fino 
 Massa lavada, também conhecida 
como PUBA)         
 10 gemas                                                                   400ml leite de coco

A gosto: 
 2 paus de canela                                                
12 de cravos-da-índia                                        
   1 pitada de sal  

  
Modo de Preparar:
Numa panela misture o açúcar com a água paus de canela e os cravos inteiros (retiros antes de misturar a massa) leve ao fogo até formar uma calda fina. Misture a manteiga e deixe esfriar mas não muito para a massa não engrossar muito

À parte, coloque numa vasilha ou batedeira as gemas (bate bem), em seguida o leite de coco e a massa de mandioca (levada• e espremida num pano de prato) e misture bem. Acrescente a calda fria e volte a mexer até a massa ficar bem uniforme.


NÃO LEVA FERMENTO
Leve ao forno bem quente, em banho-maria         numa assadeira não muito grande untada                com margarina e açúcar
Deixe assar por aproximadamente 50 min.
Fica com a consistência de um quindim.



• Coloca a massa de mandioca numa vasilha cobre com a água e vai trocando a água até a massa pouco azeda. 


Oficina de Alimentos Brasileiros  

                                                                                                 Facilitadoras Célia Maria Leite 

                                e  Maria de Lourdes Teixeira



quinta-feira, 21 de março de 2013

PROGRAMA NACIONAL DE EDUCAÇÃO FISCAL/PNEF


I ENCONTRO CRIANÇA CIDADÃ
MINISTÉRIO DA FAZENDA - 3ª R.F.
FORTALEZA-CEARÁ-Brasil
O CCAPBrasil despertar da Consciência de Cidadania


   O CCAPBrasil    participa  do               I Encontro Criança Cidadã 12 de julho de 2012 no Edifício Sede do Ministério da Fazenda em Fortaleza - 3ª. Região Fiscal. Ação foi organizada pela Delegacia da Receita Federal do Brasil, Terceira Regão Fiscal em Fortaleza. As crianças da Comunidade de São José de Macaoca foram acompanhadas pelas Porfª. Terezinha Nascimento (EEF-Vicente Patrício), Iranice Marques (Voluntária do CCAPBrasil) e familiares. 
O CCAPBrasil tem por objetivo conscientizar as crianças e adolescentes para a importâncias dos tributos como fator de desenvolvimento social despertando e orientando o Contribuinte do Futuro o respeito,   o conhecimento do patrimônio e dos gastos públicos no controle democrático. 
A Educação Fiscal deve ser uma das pilastras no processo educacional, pois ela é, sem dúvida alguma, um marco na edificação de uma consciência cidadã que deve guiar a constituição de um sistema tributário mais justo capaz de cumprir seu papel como instrumento de distribuição de renda. 
I Encontro Criança Cidadã teve como público alvo  os filhos dos servidores dos Órgãos sediados no Edifício do Ministério da Fazenda. Instituições convidadas CCAPBrasil e Convida. Educar os estudantes de todos os níveis de ensino.
A partir do momento em que ele passa a ser cidadão e toma consciência da função e aplicação dos impostos pagos por ele, ele tem uma visão mais ampla do quanto é importante cobrar de quem é contribuinte que cumpra de fato com sua obrigação de recolher os impostos devidos e de cobrar dos governantes uma justa aplicação dos mesmos.
Uma das maneiras hoje propostas pelos governos de alguns Municípios, Estados e pela própria União é a inserção da disciplina “Educação Fiscal” de modo transversal no currículo escolar. No mundo moderno, nenhuma nação supera as desigualdades sociais sem ter em mente que a maior prioridade sempre há de ser a educação. 
De acordo com as  informações da Receita Federal do Brasil em 1970 surge a Operação Brasil do Futuro, onde foram publicados vários livros didáticos direcionados para Educação Fiscal. O objetivo era levar às crianças informações fundamentais para o desenvolvimento de uma consciência cidadã, que iria substituir o conflito vivido entre o fisco e a sociedade. 
O Programa Nacional de Educação Fiscal surgiu dessa relação histórica que visa à interação entre Estado e sociedade, a partir do entendimento da necessidade do financiamento da coisa pública, pois sem verba não há como se prestar serviços públicos. 





Busca-se com o Programa o desenvolvimento da consciência crítica da sociedade para o exercício do controle social; a promoção harmoniosa nas relações entre o Estado e o Cidadão; a conscientização dos cidadãos para a função socioeconômica dos tributos; a socialização dos conhecimentos sobre a administração pública, alocação e controle dos gastos públicos e tributação; incentivar o acompanhamento e fiscalização, pela sociedade, da aplicação dos recursos públicos; aumentar a responsabilidade fiscal com vistas à obtenção do equilíbrio fiscal em longo prazo; fortalecer o comportamento ético na administração pública e na iniciativa privada;aumentar a eficiência e transparência do Estado; promover a reflexão sobre as práticas sociais.

Através do Programa, toda a sociedade passará a ter um melhor conhecimento sobre o funcionamento da Administração Pública e saberá aonde são aplicados os recursos públicos, bem como conseguirá visualizar qual é a efetiva função socioeconômica dos tributos e principalmente, com este programa, será amenizada a tão conflitante relação Estado e Sociedade.
CCAPBRASIL - SÃO JOSÉ DE MACAOCA


Educação Fiscal é que o cidadão conheça a dinâmica governamental, que ele saiba como são instituídos, arrecadados e gastos os recursos pagos por ele. Transformação do indivíduo em cidadão, trazendo todo o histórico de como iniciou e Educação Fiscal no Brasil.

É importante lembrar sempre que, a principal função do tributo é a social, pois com o dinheiro arrecadado com os tributos, pode-se redistribuir a renda nacional, agindo de forma direta na justiça social. O tributo é um instrumento que pode e deve ser utilizado como marco para as transformações sociais uma vez que ele irá gerar mudanças no comportamento da sociedade reduzindo as desigualdades sociais.
As instituicões govermentais  só será capaz de alcançar êxodo em   suas ações com a participacão de todas as comunidades sociais e educacionais. 
Os cidadãos devem estar aptos a exercer sua cidadania: é ter conhececimentos dos seus deveres e direitos;  para que possam reivindicar melhor qualidade de vida para todos. 



HORA DO ALMOÇO - REFEITÓRIO DO
 MINISTÉRIO DA FAZENDA
CRIANÇAS DO CCAPBRASIL



Programa Nacional de
Educação Fiscal/PNEF

I Criança Cidadã - 12 de julho de 2012 – 14:00 horas
Local: Auditório do Edifício Sede do Ministério da Fazenda – Fortaleza/CE
         
Apresentação Teatral: "Os Primos", oficinas de jogos, jogo de tabuleiro eletrônico, navegação no site do Leãozinho, lanche e brindes.

Espaço Cultural do Ministério da Fazenda = Exposição Itinerante . 
Tema: Contribuinte do Futuro a Educação Fiscal
Curadora: Célia Maria Leite.

O Público Alvo: crianças e jovens de 06 a 15 anos, filhos dos servidores que integram o Edifício Sede do Ministério da Fazenda=Fortaleza-CE. 
Convidados especiais: = crianças da Instituição CONVIDA (Jangurussu),

= crianças da Instituição CCAPBrasil (São José de Macaoca-Madalena-CE.

Total de 200 pessoas convidados
Objetivo: Estimular a mudança de valores, crianças e culturas do indivíduo, na perspectiva da formação de um ser humano integral, como meio de possibilitar o pleno exercício de cidadania e propiciar a transformação social.  

 Em São José de Macaoca, contamos várias pessoas capacitadas com os Cursos de  Disseminadores: em Educação Ambiental (CONPAM e SEMACE), Educação Prevedencia Social (Ministério da Previdência Social,  Educação Fiscal - I Encontro Criança Cidadã (Delegacia da Receita Federal do Brasil - 3ª. Região Fiscal).                               

O  CCAPBrasil através de sua Presidente - Célia Maria Leite, se fez presente com a comunidade Estudantil aos  convites social, educativo, lazer,  religioso e outras atividades esportivas.